Home Pessoal Profissional e-Mail
Português English
Marcos Eduardo Mathias
Porque o mundo é nosso!
Minhas aventuras de moto 1
2008-02 Corupá 2
2007-11 Campinas
2007-06 Pomerode 4
Voltar 5
Minhas aventuras de moto

21/Nov/2007 - Curitiba -> Campinas

Campinas tem pouco mais de 1 milhões de habitantes, sendo uma importante cidade do estado de São Paulo, fica à 80 kilometros ao norte da capital do estado, a cidade de São Paulo.

Os motociclistas

Apesar desta viagem ter sido melhor planejada que as outras, eu fui sozinho, pois iria para conhecer o meu time de trabalho e para assistir algumas palestras na empresa, que fica localizada na região metropolitana de Campinas, em Hortolândia.


Eu e minha menina no fundo uma Shadow 600.

A viagem de ida

Esse é o caminho que eu percorri, no mapa abaixo encontra-se inclusive as paradas que fiz.


Exibir mapa ampliado

Saí de Curitiba por volta das 5h55 da manhã, com direção à São Paulo. O dia estava claro, a temperatura por volta de 20 graus Celsius.

Peguei a BR-116 (rodovia Régis Bittencourt), e fiz a primeira parada na Represa do Capivari, não pude resistir e tirei algumas fotos:


Represa do Capivari - Paraná.


Represa do Capivari - Paraná.

Rodei 140 kilometros e resolvi procurar por um posto para abastecer, percebi que não havia postos a esta altura, só depois de rodar mais 39,45 kilometros (179,45 km), já na reserva, encontrei um posto na cidade de Cajati-SP, parei por volta das 8h30 da manhã, abasteci, estiquei as pernas, fiz um lanche e continuei...

Após Cajati-SP, encontrei muitas dificuldades, pois a rodovia estava (desculpe a palavra grosseira) uma bosta, não conseguia rodar mais que 1 kilometro sem encontrar treixos esburacados, alguns até poderiam me engolir com moto e tudo. Veja você mesmo a foto que tirei:


Buracos na rodovia Régis Bittencourt.

A pista continuou assim, até perto da cidade de São Paulo.

A terceira parada foi na serra entre os munícipios de Juquitiba e São Lourenço da Serra, um trecho de pista não duplicada, então pode se imaginar o caos que estava este trecho da rodovia.

Cheguei a São Paulo ainda antes do meio-dia, e então meus problemas com a rodovia esburacada acabaram, peguei o Rodoanel Mario Covas, com direção a rodovia Bandeirantes.

O Rodoanel é uma rodovia que circula a cidade de São Paulo, não é feita de asfasto, e sim de blocos de concreto especial para estradas. Passei por Guarulhos, pela saída para a rodovia Anhanguera e enfim a rodovia Bandeirantes.

Entrei na Bandeirantes e minha vida mudou, nunca havia pilotado em uma autoestrada como aquela, quatro pistas, telefones a cada 2 kilometros, e o limite de velocidade de 120km/h. Claro, uma rodovia particular, o governo nunca iria fazer um serviço como aquele, o pedágio é obrigatório em dois pontos entre São Paulo e Campinas, mas tem uma excessão, Moto não paga pedágio! Olha, depois do que eu sofri na Régis Bittencourt eu pagaria todos os pedágios que fossem necessário, e pagaria sorrindo!


Telefone da Rodovia Bandeirantes.

Ah sim, deixa eu fazer uma propaganda da empresa que administra a rodovia, pois é o mínimo que posso fazer: AutoBAn.

Logo após entrar na Bandeirantes fiz uma parada para o almoço, já estava perto de Campinas, mas a dor na bunda e a fome estavam me matando.

Depois disso foi tranqüilo, após 516,80 Km percorridos, cheguei à Campinas, eram 13h14 e fui direto para o Hotel, no centro da cidade.

A hospedagem

Fiquei hospedado no Hotel Ibis, na avenida Aquidaban, 440, no centro de Campinas.

Como todo hotel, têm os prós e contras, vou citá-los:

Prós:
  • Tem estacionamento;
  • Tem cofre individual dentro dos quartos;
  • Um ótimo café da manhã;
  • Fácil acesso às rodovias;
  • Ficando no mesmo quarto, duas pessoas pagam o preço de uma pessoa;


  • Contras:
  • O estacionamento é pago a parte;
  • Não tem serviço de quarto;
  • O café da manhã é caro e pago a parte;
  • As janelas do quarto não se abrem;
  • Poucos canais na TV a cabo do quarto.
  • Esta é a vista do quarto que eu fiquei:


    Vista da janela do quarto.

    No dia em que cheguei conheci meu time de trabalho, do qual só conversava via chat ou telefone, e claro, tirei uma foto pra prosperidade:


    Leandro, Liza e eu.

    Leandro e Liza, foi um prazer enorme conhecer vocês!

    Fiquei hospedado no Ibis do dia 21/Nov até dia 24/Nov, quando fui convidado à ficar na casa de um amigo (Will aquele abraço!). Ah sim, o link no nome dele é da empresa dele.

    Fui muito bem recebido na casa desse meu amigo, tão bem recebido que fiquei até sem jeito, pois a mãe dele acordou as 6h00 da manhã de domingo para fazer um café da manhã pra mim. Obrigado mais uma vez Will!

    A viagem de volta

    A viagem de volta foi mais tranqüila, saí de Campinas por volta de 6h30 da manhã após um café exclusivo na casa de meu amigo.

    Segui o mesmo caminho que fiz na vinda, pela Bandeirantes (quando fecho os olhos ainda posso ver a essa estrada correndo bem debaixo de meus pés). Parei logo após São Paulo, depois de rodar 127,9km, já na Régis Bittencourt (de volta ao inferno de buracos).

    Rodei mais 153,7km até Registro-SP, que fica bem no meio do caminho, abasteci num daqueles postos Graau que têm naquela região, muito bom o posto.


    Divisa do estado de São Paulo com Paraná.

    Então após mais 159km, já no estado do Paraná fiz minha última parada antes de Curitiba, no posto Pampa 6, outro posto muito bom.

    Cheguei em Curitiba por volta das 14h00, e apesar de todos os buracos da estrada, foi uma viagem que deixou muita saudades, do pessoal de Campinas, da estrada, e do cheiro do asfalto.

    Rodei de Campinas à Curitiba por volta de 520,6Km num total somando a ida e a volta de 1.037,4km (meu próprio recorde).


    Saudades...

    Espero que tenham se divertido, caso tenham algum comentário, correção, por favor, envie-me um e-mail, terei um prazer enorme em responder e/ou corrigir.

    Abraços!
    Marcos Mathias

    Access denied for user 'memathias'@'187.45.195.189' (using password: YES)Access denied for user 'memathias'@'187.45.195.189' (using password: YES)
    Comentários (0)